quarta-feira, 18 de novembro de 2015

[4ª Poética] Negra Raiz - Mariane Helena


O meu verso é negro como negra é minha raiz
Somos seguimento de luta e da dor
Temos na essência um rastro áfrico
Ta na pele, no cabelo, no prato... na história!
Do peito da mãe preta jorrou toda a resiliência
Mesclou preto no branco
Ultrapassou as fronteiras,
Resistiu, insistiu,
Ganhou seu lugar...
Fincou nesse chão sua marca com o sangue real
Fez-se caule de nobreza e glória 
Renitente
Bravia
Altiva
Libertária.

Esse é um poema em homenagem ao dia da consciência negra (20/11).


Facebook | Blog


Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Sabe eu - Antonio Luis

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com