quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

[Poema] Juventude Louca - Sandro Rezende



Sem nada pra fazer
Pego o carro
Corro sem parar
A polícia atrás de mim

As vezes penso
Que é uma brincadeira de criança

O álcool na cabeça
A garrafa pela janela
Um cigarro na mão

Todos dizem que sou louco
Minha cabeça está a mil
O velocímetro só aumenta
Minha mãe reza para Deus proteção

Você acha que não tenho juízo
Você acha que não tenho juízo
Quem sabe

O bobo tabu
Está na cabeça da sociedade
Com suas ideias idiotas de normalidade

Enquanto o mundo pensa
Eu vivo
Sem nada pra fazer
Pego meu carro e corro

Junto com essa juventude louca
A vida é pra ser vivida
E não parada
Como um relógio que parou no tempo

Riu a brinco
Com as leis de sociedade
Eu conto piadas com a política dos grandes
Que está nem ai pra ninguém

Enquanto você perde seu tempo
Eu canto músicas pra você dormir

Junto com essa juventude louca
A vida é pra ser vivida
E não parada
Como um relógio que parou no tempo

Sandro Rezende


Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Versos da alma

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Versos da alma

Versos da alma

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[Súmula de domingo] - JOGOS DA MASSA – Ana Cristina

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com