sábado, 26 de dezembro de 2015

[Poesia] O Papai Noel Das Ruas - Diego Sant'Anna



Caminhando muito devagar
Em sua jornada sem destino certo.
Seu teto são as estrelas que pararam de brilhar.
E por cama um velho papelão aberto.

Junta moedas em um copo quebrado,
Preso ao seu velho acordeão.
Seu olhar de tristeza e seu sorriso amargurado
Acusam que é íntimo com a solidão.

Longas cãs em sua barba descorada
E seu pouco cabelo sem pentear.
Um sorriso desdentado e uma tosse não tratada.
Seus sapatos são os dedos cansados e entediados de andar.

Companheiro do frio constante,
Nunca recebeu ajuda de alguma instituição.
Mas todo Natal ele muda o semblante,
Pois uma chama aquece seu coração.

Papai Noel das ruas ele insiste.
Com um gorro velho e um saco remendado.
Fazendo deste cenário triste.
Algo digno de ser lembrado.

Sem medo de caminhar com os mesmo pés cansados.
Ele segue em sua missão especial.
Suas moedas agora são doces e brinquedos reciclados.
E as crianças das ruas não irão chorar neste Natal.


Diego Sant’Anna

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Versos da alma

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Versos da alma

Versos da alma

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[Súmula de domingo] - JOGOS DA MASSA – Ana Cristina

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com