sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

[A vida por Ana Rapha] Feliz aniversário


Oi, pessoal! Tudo bem? Hoje é sexta-feira, dia de crônica da Ana Rapha!!
Conheço muitos aniversariantes no mês de fevereiro, assim, meu presente para esses amigos é a crônica de hoje!! Curtam, comentem!! ;)


Feliz aniversário

            Fazer aniversário, uma festa? Nem sempre! Muitas pessoas não gostam de celebrar essa data, sentem-se mais velhas, parece que o tempo delas está se esgotando.
            Outro dia, uma amiga minha me disse: Mais um aniversário de novo? A sensação é de que há um relógio contando o tempo que ainda me resta! E completou, avisando às amigas: Nada de festa, comemoração surpresa ou qualquer coisa do gênero, depois dos trinta não há mais o que comemorar. Será que não?
            A vida, realmente, passa muito rápido. A sensação de que estamos com os dias contados, de fato, existe. Mas, então, não seria mais um motivo para  celebrarmos a vida? Comemorar mais um ano de vida?
            Precisamos vencer a morte todos os dias, desde que abrimos os olhos para esse mundo. São doenças, acidentes, catástrofes, todo tipo de coisa que finda a vida das pessoas a todo instante. Assim, a cada ano que fazemos, a cada nova idade, é uma superação. Superamos a morte, as dores, os obstáculos, as quedas, as perdas. Sobrevivemos, quiçá vivemos!
            Em contrapartida a essa minha amiga, que se autointitula uma jovem senhora ainda na casa dos 37 anos, outro dia, conheci uma senhora de verdade, próximo aos 90, que disse: Eu comemoro mesmo o meu aniversário. A cada ano a festa é maior. Estou superando a morte, driblo ela todo ano. Eu sou vitoriosa e o aniversário é o momento de comemorar a minha vitória sobre a morte.

            Sábias palavras. Vencemos a morte todos os dias, nos superamos a cada instante. E o momento de celebrar essas conquistas é o aniversário. Assoprar as velinhas não é sinônimo de velhice, mas de superação e sabedoria. A cada ano que passa, amadurecemos como aprendizes da vida, para um dia quem sabe, nos tornarmos professores dessa linda jornada, tão cheia de espinhos, mas repleta das mais belas rosas!

Gostou do texto?
Conheça meu livro "A Lua que eu te dei". 
Mais informações no link: www.facebook.com/escritoraanarapha/
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Sofro em teu olhar - Robson Lima

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com