domingo, 13 de março de 2016

[A vida por Ana Rapha] O papel em branco

E a coluna "A vida por Ana Rapha" chegou!! Leiam, comentem, compartilhem!! ;)

O papel em branco

            Às vezes, as ideias são tantas que fica difícil traduzi-las em palavras. O pensamento é muito mais rápido que a fala que é mais rápida que a escrita. Assim, as ideias se embaralham, dão um nó na cabeça.
            Esse é o papel do escritor, desenlaçar os nós e transforma-los em palavras organizadas, de forma a passar as mais belas mensagens. O escritor é um tradutor de ideias e sentimentos, as traduz em palavras que emocionam, embelezam, amedrontam ou surpreendem.
            Escrever um texto é mexer com as emoções humanas e não há uma receita para isso. Outro dia, um amigo meu, aspirante às artes da escrita, disse que segue uma fórmula para produzir textos.
Eu me questiono: existirá uma simples receita para encantar com as palavras? Basta usar um adjetivo, empregar um determinado advérbio ou colocar os verbos adequadamente para traduzir as emoções humanas?
Escrever não é seguir um manual de instruções. Existem regras sim. Estruturas e elementos que contribuem para a elaboração de um bom texto. Mas isso apenas não basta!

O tempero de uma bela história é a emoção, a criatividade, a subjetividade. E para isso não há fórmula mágica. 

Gostou desta crônica? Deixe seu comentário! E curta a minha página no Face para conhecer mais sobre a minha obra!! www.facebook.com/escritoraanarapha
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[Biografias Reais] Escritor José Saramago

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com