sábado, 30 de abril de 2016

Poema] Sem Coração - Windsidh


Canto satisfações átonas
Sob o céu da cidade onde me encontro e vivo.
Os prédios tornam-se indistintos
Uns dos outros e de mim
Por via de tons azuis e beges
Escurecidos pela poluição dos dias.

Teço delongas de insipidez por entre os meus dedos.
Recuso-me a admitir que, no
Lugar do meu coração,
Se encontra uma larva

Que consumiu todos os meus sonhos.

Windsidh

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Versos da alma

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Versos da alma

Versos da alma

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[Súmula de domingo] - JOGOS DA MASSA – Ana Cristina

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com