domingo, 24 de julho de 2016

[Súmula de Domingo] Oitenta Palavras- Ana Cristina.


Era eu prisioneira do facínora, alguns corpos jaziam no chão. Sua fúria era implacável. Não havia perdão.
Era uma casa ampla com cômodos sem móveis, chão de tábua corrida. Era eu acuada num canto horrorizada com a barbárie, e impiedosamente obrigada a assistir aos momentos de horrores. Mas também era eu uma sobrevivente, um ser em busca de libertação, embora houvesse mortes, embora não houvesse a mínima chance de sobrevivência, era eu um ser em esperança, mesmo que a sobrevida após a exposição, após toda a impressão no arquivo cerebral se concretizasse, mesmo que toda a lembrança do que vi e ouvi vire o meu tormento diário, mesmo que eu não consiga mais dar um passo para vida e que esta vegete num quadrado de concreto de lar ou de hotel, mesmo que eu não consiga mais ter nenhum relacionamento amoroso e não consiga mais dizer nenhuma palavra, fique muda, fique cega, fique louca, mesmo assim, mesmo assim, eu quero sobreviver, porque o instinto de sobrevivência no ser humano está intrinsecamente ligado ao fato de ele ser.
Era eu um ser assustado e confuso e sem saber o que fazia eu ali, o que teria eu feito àquele talvez ser, mas ele era um conhecido, era alguém com rosto e proximidade, mas eu não o via. Havia uma porta e nela um pedacinho quebrado, era um quadradinho de vidro quebrado onde eu pude ver lá fora e entendi o sussurro em meu ouvido, oitenta palavras, - oitenta palavras? – perguntei. Então gritei por aquela ínfima ligação que fazia entre os dois mundos, oitenta palavras! Um homem mau vestido, um roto, deu as caras e era ele conhecido do algoz. Saímos e entramos em um Jeep verde e novo, chorei porque ali eu vi o fim, mas não entendi, as oitenta palavras.
Um sonho, é um sonho, mas é um mundo à parte, onde a realidade daquele momento, daqueles instantes nos remetem à reflexões, a pensamentos diversos, assim que acordamos. Talvez eu esteja tão embriagada de notícias e tenha ficado abalado com as últimas que meus arquivos tenham embaralhado algumas palavras e tenha transformado este episódio em: Oitenta Palavras.
Ana@Cristina.
Filmes sobre sonhos:
Vanilla Sky
Ladrão de Sonhos




Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[Biografias Reais] Escritor José Saramago

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com