domingo, 4 de dezembro de 2016

[Súmula de Domingo] TOLERÂNCIA!! – Ana Cristina da Costa


O engraçado é que passamos a vida inteira lendo, escrevendo e “aprendendo”, ledo engano, o hábito de ler e escrever ás vezes nos faz cegos, pois são tantas palavras, são tantas certezas de que o seu significado foi bem entendido que simplesmente as usamos, dizemos e não tomamos proporção quanto ao seu fiel propósito de ensinamento.
Em caminhada com minha filha eu a expliquei que após anos e anos de existência, eu entendi o real significado desta palavra e o seu emprego.
Não basta que o meu discurso ganhe um prêmio e ou seja difundido no mundo inteiro como um puta-discurso, mas eu devo pô-lo em prática, senti-lo, para que as palavras deitadas nele tenham vida e confiram veracidade.
Então eu entendi, foi um lapso e eu entendi.
Entendi que se eu não penso o avesso de qualquer coisa eu devo tolerar, porque do outro lado do pensamento está alguém que eu gosto, alguém com que convivo e ou alguém que que é alguém, então deixe que essa pessoa sinta o meu amor por ela, simplesmente isso, o que importa é o amor que sinto por ela. Eu não sou certa, não sou o baluarte, posso ser a mais errada e penso contrário à outra pessoa, ela sabe e é convicta de que está certa e eu idem, então onde é o ponto de equilíbrio o vórtice que nos une? É no amor, este sentimento no qual está englobado sentimentos outros, menores e que são de igual importância e peso, alimentando-o e abrilhantando-o como o universal.
Vou dar um exemplo de tolerância fora do discurso:
· Tolerância religiosa: uma pessoa evangélica põe os seus pés num terreiro de Umbanda a convite ou por curiosidade, e no tocante, o inverso acontece, um islâmico adentrar uma igreja católica e assistir a uma missa e o inverso haver a reciprocidade, um forte exemplo de que a mentalidade de assumidades abriram novos horizontes em suas agendas é o discurso do cientista britânico Stephen Hawking no Vaticano, sabemos todos que ele é ateu.
· Tolerância racial: pessoas negras tornarem-se líderes e protagonistas de novelas sem que ganhem papeis representativos de profissões subalternas, ou seja, não que haja profissões de níveis, mas há as conferem glamour, status e as que são meras coisas, então que tal uma família de pessoas negras serem os donos de uma multinacional em papeis de novelas? E que tal alguns médicos, advogados, engenheiros também, e que tal um varredor de rua branco, louro e de olhos azuis? Porque somos todos gente, pessoas, humanos, a mesma espécie, as mesmas oportunidades, esmagadas por alguns para alguns fazendo uma seleção ridícula.
Bem, eu tive a oportunidade em aprender fora do discurso o real significado da palavra porque ela me tocou profundamente, não que eu tivesse intolerância, mas porque ela me veio então formamos uma aliança. Espero que você a use também e ou encontre a sua palavra, ficarei feliz em saber qual é. Tenham todos um bom domingo.
Ana Cristina da Costa.
Créditos da Imagem: Google
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Sofro em teu olhar - Robson Lima

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com