sábado, 6 de maio de 2017

Eu Morri - Davyd Vinicius



Eu já tive que morrer e renascer tantas vezes...
Também já tive que conhecer e desconhecer muita gente...
Foi necessário que eu aprendesse a lidar com o luto, talvez um pouco na marra, mas hoje está tudo bem.
Tive que aprender a lidar comigo e principalmente a lidar com os outros, com a falta imposta por eles a mim. Tive que aprender a lidar com a situação da distância que ia ficando cada vez maior e eu era o único a me importar, como se a partir daquele momento eu não estivesse mais aqui, como se realmente eu tivesse morrido. E eu tinha.
Foi a partir de então que passei a conhecer o outro lado da vida, um forasteiro em uma terra desconhecida. Eu tive medo, tudo que eu tinha em mãos estava partindo e eu não sabia para onde correr. Foi então que a vida passou a se abrir para mim, me mostrar que tudo aquilo não era em vão, que tudo aquilo que havia me deixado só havia ido para que coisas muito melhores pudessem fazer parte de mim.
Um novo eu ressurgia todos os dias cada vez melhor, para cada mão que havia largado da minha, abraços quentes e apertados, colo e ombro amigo, muito mais que um refúgio, uma fortaleza. Foi a partir dai que compreendi o meu verdadeiro lugar no mundo, o meu verdadeiro eu e quem realmente deveria estar ao meu lado.
Eu morri sim, mas morri para aqueles que não fizeram questão de mim, aqueles que largaram da minha mão quando deveriam ter segurado ainda mais forte. Morri para tudo que me fazia mal, para todos que não fazem mais questão de mim. Mas permaneço vivo, mais vivo do que nunca para aqueles que compartilham da vida junto a mim, aqueles que conseguem enxergar e mostrar o quão valioso é estar vivo, que exaltam o melhor de cada segundo e o quão precioso é poder estarmos juntos.

Davyd é escritor/poeta e blogueiro.
                Já teve textos publicados nas revistas Mimeógrafo Multicopista Cultural, Revista Real, Revista Mais de Um, Revista Bang Literário e Revista Letrilha, nas antologias "Entre Contos", "Poetas no Divã", "Dedos que leem" e "Mãos aos Versos", em sites e blogs nacionais e internacionais. Além disso, é um dos participantes dos projetos "Ver Com as Mãos", "Declame para Drummond 2016", "Folinha Poética 2017" e membro da Academia Virtual de Letras (AVL).
 Ele também já foi colunista no blog "Wold Literário" e hoje é dono dos blogs "Faroeste Literário" e "Stand Books", ideializador dos projetos "Tinteiro de Pixels" e do "Prêmio Alexandria de Literatura".
Share:

2 comentários:

  1. Gente! Parece um livro maravilhoso!
    Adorei a resenha. Parece o tipo de leitura que estou precisando nesse momento da minha vida.
    Beijos
    Resenhando por Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marina, que bom que gostou. Infelizmente esse é só um texto dele, ainda não é um livro, mas vamos torcer para virar um né? hehehe
      Se quiser, você pode encontrar mais textos assim na página http://facebook.com/escdavydvinicius ou no blog http://escritordv.blogspot.com.
      Beijos.

      Excluir

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Versos da alma

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Versos da alma

Versos da alma

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[Súmula de domingo] - JOGOS DA MASSA – Ana Cristina

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com