segunda-feira, 1 de maio de 2017

[Resposta 42] Agonia do saber ou não saber - Bruno Leal



Mais um sentimento cruel. Aquele da incerteza. Aquele que quando você olha para frente, vê a resposta muito mais longe do que você pode imaginar. Você para e pensa que é possível, mas logo, ao começar a caminhar, cansa nos primeiros paços.
Hoje, vamos nos basear no lado mais humilde da questão levantada por Sócrates sobre a busca pela verdade: o "SÓ SEI QUE NADA SEI".
Afinal, quando começamos as discussões, pesquisas e levantamento de hipóteses até chegar ao resultado final de 42, será que chegamos nas respostas ou só levantamos mais perguntas? Muitas pessoas dizem que é mais produtivo fazer perguntas do que ter respostas prontas. Para continuarmos sendo inteligentes nós, seres humanos, precisamos continuar a fazer perguntas e questionar praticamente tudo. O problema é que aí entramos num dos pontos que mais me incomodam na filosofia: O objetivo é sempre ter perguntas para responder ou encontrar as respostas para as perguntas? E, será que como Sócrates disse, nunca iremos chegar numa resposta final e definitiva?
É doloroso pensar nisso. Passamos tanto tempo buscando sentido para as nossas vidas, mas no fim somos conhecidos apenas como "questionadores" e "inteligentes", com a eterna frustração de que o longo caminho jamais foi percorrido. Ou será que, como dizem alguns, "cada um busca sua resposta"? Isso pode ser uma hipótese viável. Mas e a humanidade como um todo? Nada. Isso parece não existir. Segundo nossas próprias provas e o que Sócrates disse sobre a verdade absoluta: não existe. É estranho pensar que o mesmo autor disse "só sei que nada sei" e "uma vida que não é refletida não vale a pena ser vivida".
Agora fica a intrigante pergunta: Vale a pena refletir para não ter resultado nenhum, ou apenas resultados parciais é do que precisamos para crescermos como civilização?
Você, trabalhador, aproveite o feriado para pensar nisso. Compare com o seu trabalho. O que você mais quer: Resultados parciais para chegar ao sucesso ou resultados definitivos? Pelo que você trabalha?
Um abraço à todos os trabalhadores da classe proletariada e classe burguesa (por que não, né? Também são trabalhadores!) e até a próxima!

Dizem que 42 é a resposta para tudo, porém isso é difícil de assimilar. Mas como a Terra é o único planeta capaz de entender as perguntas e respostas, vamos cumprir nosso dever.
Por que 42? Vamos tentar descobrir todas as primeiras segundas-feiras de cada Mês.
Até a próxima questão fundamental!
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Versos da alma

Anuncie

Anuncie

SnapChat

SnapChat

Facebook

Youtube

Feature Post

Versos da alma

Versos da alma

Google+ Badge

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[Súmula de domingo] - JOGOS DA MASSA – Ana Cristina

Copyright © Faroeste Literário - entrevistas, cursos, resenhas e muito mais | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com