quarta-feira, 25 de abril de 2018

[4ª Poética] Eu queria - Felippe Lacerda

EU QUERIA





Eu queria bailar com as árvores

Sempre que o vento assoprar
Eu queria voar com os pássaros
A cada mudança de uma nova estação
Eu queria viver uma vida tranquila
Abarrotado de paz no coração
Ser os trilhos do trem da bondade
As abelhas daquele jardim colorido
Fazer parte do pomar mais doce da Terra
Ir aos confins do inimaginável
Chegar lá e perceber que a vida sim valeu a pena
Ser as palavras de poetas dos quatro cantos da orbe terrestre
Acalentar, acalmar, adocicar e amar cada alma que me lê
Doar o que mais belo se tem no amor
Eu queria ser a paz nas guerras
Ser o autor dos livros didáticos de história
Aonde não houvesse a matança e a destruição 
Ser a ponte para a verdade
Levar os perdidos para um recanto aprazível
Matar a fome com toda força
Extinguir a indiferença e riscar ela dos relatos da humanidade
Ser a hegemonia do zelo 
Fazer das dificuldades meras piadas
Eu queria dar um copo de café nas manhãs frias
O cobertor para o jogado ao léu
O abraço para o carente
O carinho para aquele que sofre sozinho
Eu queria desenhar o céu azul depois de uma impetuosa tempestade
O nascer do sol depois do pior dia da vida de alguém
Eu queria injetar a dose mais forte de amor nos doentes
Eu queria falar poesia em um idioma universal. 


FELIPPE LACERDA
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Nem sempre é fácil esperar - Soares Barbosa

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com