quarta-feira, 11 de julho de 2018

[4ª Poética] Sina de caboclo - Chico Mulungu


SINA DE CABOCLO

Neste solo nordestino
O Caboclo é sempre um forte
Que resiste ao vento Norte
Quando o tempo é severino.
Bravo feito um Beduíno 
Que trafega no deserto,
O Caboclo é por certo
Um grande em sabedoria
Que peleja noite e dia
Mesmo com destino inserto.

Este sábio sertanejo
Que sabe o tempo prever,
Contar luas pra viver
Com o seu simples manejo,
Vive a procurar lampejo
Que o leve aos sinais... 
E não se engana jamais 
Por isso sabe dizer
Se o sol sai ou vai chover
Com as precisões reais.

Como raiz de firmeza, 
O Caboclo está plantado
Na caatinga, no roçado,
No contexto da pureza
Que emana da Natureza
Como cacto em flor
Por demonstrar seu valor
Na savana nordestina.
Ser Caboclo é uma sina
Vivenciada no amor! 

CHICO MULUNGU




Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Uma porta entreaberta - Elísio Mattos

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com