quarta-feira, 26 de setembro de 2018

[4ª Poética] Onde a vida imita a arte - Chico Mulungu



ONDE A VIDA IMITA A ARTE


Quem pode seguir livre o seu caminho
Permite-se aos seus sonhos, e ao seu destino,
Pode escrever sua história em pergaminho
Ou desafinar por completo o violino!...

De tão larga, essa estrada é atrevida
E pode nos levar a qualquer parte!...
A juventude, das porções, é a mais florida
No percurso onde a vida imita a arte.

Viver em liberdade com sabedoria
Pode permitir excelência e harmonia
Na vivência dos que buscam ser feliz. 

E assim como os livres lírios do campo
Brilham estrelas, qual luz de pirilampo
Que palmilhou seu roteiro, por um triz. 

CHICO MULUNGU

Share:

2 comentários:

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Nem sempre é fácil esperar - Soares Barbosa

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com