sexta-feira, 26 de outubro de 2018

[Projeto Láquesis] Além da soda cáustica - Mariane Helena




“Se você pode sonhar, você pode fazer.”(Walt Disney)

Sim, o sonho é possível! Todos nós sonhamos! Mas costumamos (culturalmente) matá-los, antes mesmo de nos dar o direito de se pensar na possibilidade deles virem a ser realidade. Motivos são inúmeros! Por medo de ser ridicularizados, por preguiça, ou comodidade, por ser muito ousado, por ser muito louco... Por medo de ser possível!
 Todos os grandes, foram grandes loucos, grandes sonhadores, grandes questionadores e grandes corajosos! Sim, ir contra a tudo que já se conhece, querer e achar que pode mesmo inteligível, requer muita coragem! Santos Dummont, Walt Disney, Isac Newton, Nelson Mandela, Santo Agostinho, todos LOUCAMENTE GENIAIS, foram grandes conquistadores que mudaram a seu modo a história da humanidade com um “ridículo” sonho.
Minha loucura começou no dia em que decidi tomar soda caustica para matar a dor. Uns falam que é frescura, outros falam que é falta de vergonha na cara ou egoísmo... Na verdade poucos sabem que pra alguns a dor passa ser algo tão desesperador que fazemos de tudo para extermina-la, nem que pra isso o preço seja a própria vida.
Percebi também como o suicida se iludi! Imagina que vai ser fácil e simples... Como se a vida tivesse um botão de desligar e que basta apertá-lo que pronto se extingue a vida! Ilusão! Cada tentativa acarreta mais dor e sofrimento. Há pesquisas que dizem que para cada um suicídio cometido existem cerca de 20 tentativas, ou seja a chance de dar errado é muito maior e que pode trazer consequências irreversíveis; como foram as minhas.
Perdi meu emprego, minha autonomia! Perdi órgãos, perdi o chão... Ganhei limitações, novas dores, mas também ganhei a poesia. Vi o meu despertar para a poesia após está grande calamidade. Passei a escrever após a tentativa de suicídio; que por consequência, me deixou um longo período sem voz (traqueostomizada), foi quando a palavra passou a falar! Comecei a escrever para me expressar, para desabafar, para sofrer, para esconder a dor, para suportar, para aflorar, para voar...
Publiquei meu primeiro livro, como um marco de vitória. Onde relata em poemas com amor e muita leveza o período de mais doloroso de toda a minha história. A fim demonstrar, que tudo coopera para o bem. E assim deve ser encarado. 
Eu, sonhei que poderia ser uma borboleta, na beira da morte quis voar pra vida. Loucura! Os prognósticos diziam não, as dores diziam não, a fragilidade que meu corpo se encontrava gritava que não... As pessoas no fundo de seus olhos se convenceram que não. Também imagina: que possibilidades existiria para uma “louca”, tão louca ao ponto de tentar suicídio, de uma forma tão brutal como por ingestão de soda caustica  e ainda por cima fadada a viver numa cama de hospital, totalmente limitada por sequelas irreversíveis? Mesmo contra tudo e todos até mesmo contra a minha esperança, acreditei que era possível, de alguma forma... de algum jeito... eu iria viver! Acreditei que tudo era possível, pois minha força de viver era maior!
E a fé no que eu não podia ver, me trouxe aqui, se hoje você me lê é porque o meu sonho foi possível. Passaram-se quase seis anos e minhas asas alçaram muito além da minha imaginação. Deram-me: sonhos, um livro, leitores, prêmios, reconhecimento... uma nova vida! As sementinhas regadas com minhas mais sofridas lágrimas, fizeram crescer meu sonho em poesia. A MINHA METAMORFOSE!
Em 2015, recebi o TROFÉU CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE – EDIÇÃO ESPECIAL OURO como destaque do ano! Em 2016, recebi o TROFÉU CECILIA MEIRELLES – MULHERES NOTÁVEIS como um mulher de destaque na literatura nacional! Em 2017, recebi além do Troféu CASTRO ALVES – EXCELENCIA LITERARIA pelo meu primeiro livro, recebi o titulo de COMENDADORA DE LITERATURA, entre muitas outras!  Honras inimagináveis pra mim, e um privilégio, principalmente, por estar dentre os grandes nomes da literatura do nosso país.
E o que foi isso? Sorte? Não! Sonho! Quando você empenha todas as suas forças em prol de um objetivo, você não alcança apenas a Lua, mas também navega pelas estrelas.
Alguns dizem que a partir do momento que você se dedica a correr atrás de seu sonho, que o universo começa a conspirar em seu favor. Eu acredito que não haja conspiração, apenas você traz à existência algo nato, que sempre esteve aí dentro de você. Li uma vez, que Deus não tem sonhos, pois é perfeito, então, criou o homem para sonhar através dele.
Portanto, quando conquistamos nossos sonhos, simplesmente entramos de acordo com os sonhos que Deus sonhou para nós desde o principio.
Seja qual for o tamanho do seu sonho, Creia! Pois tudo é possível ao que Crer!
(Mariane Helena)
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Telhado de vidro - Miriam Mauro

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com