quarta-feira, 21 de novembro de 2018

[4ª Poética] A minha cor - Afro Cena



A Minha Cor


A minha cor é algo muito especial
Minha cor é cidadã, não é cor marginal
E o meu cabelo é uma arma nessa luta social
Sou negro de valor
Uso black sim senhor!
Meu cabelo é cultural, um estilo pessoal
Uma herança do meu povo ancestral
Por isso quando me olha 
Me vê assim
Mas não precisa me agredir
E nem tão pouco fugir de mim

Esse meu jeito tem muita historia
Embaixo desse cabelo tem conhecimento e vitória
Danço meu funk, meu rap e meu samba
Mas não sou marginal
Sou doutor, mestre, professor, jornalista
Tu já deixou de ser meu senhor
Por isso me respeite como cidadão
Porque esse negro que todos  falam
É um negro de valor


AFRO CENA




*Mês da consciência negra

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Nem sempre é fácil esperar - Soares Barbosa

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com