segunda-feira, 4 de março de 2019

[O que aprendi com as borboletas] Volte a sonhar - Mariane Helena


VOLTE A SONHAR!


Forte é aquele que não desiste dos seus sonhos, mesmo com tantas dificuldades no caminho”

O que desejamos para nós é o primeiro passo para grandes realizações, pois tudo começa assim. Sonhar é formar na mente as imagens de algo que se quer, de um futuro desejoso; é não ceifar a vida como ela é e buscar o melhor. O sonho é tão importante quanto o ar e a água. Portanto, sonhar é viver, é estar alerta e com a esperança sempre acesa.

Mas a vida gira e seu movimento anda em descompasso com o nosso egoísmo e anseios. As vezes nos perdemos no percurso ou perdemos a habilidade de sonhar! Abrimos mãos do sonho como se fosse uma carga pesada, que ao nos livrarmos dela, teremos uma viagem mais tranquila... Esse é o meu erro!

O meu caminhar estava tão difícil que imaginei que abrindo mão dos meus sonhos, facilitaria tudo; quando na verdade eu brequei “ a minha viagem” pois o que lancei fora não foi uma bagagem qualquer indesejada, mais sim o “combustível” do meu tanque! O que fazia tudo girar... o que dava sentido e ruma para minha vida.

Descobri que o que falta para minha vida era o sonho! É libertador e ao mesmo tempo um desafio e uma grande responsabilidade... Retomar a acreditar nos sonhos. Então eu me pergunto: Como voltar a sonhar? Como achar o caminho de volta, se estou perdida?

É fato que a vida não pára para você se organizar; reunir seus cacos; se consertar; retomar de onde parou... É preciso lidar com a vida, com suas incertezas, e consequências. Pensamos tanto em pequenas alterações nos planos ao longo do dia, como aqueles momentos que a vida muda em um instante. E o que fazer? É preciso voltar a sonhar, seguir a movimentar a roda da vida “apesar de”, as vezes é necessário um tempo para aceitar e compreender o jogo da existência humana, onde nossas fichas são os sonhos e nossa maior aposta é: A nossa esperança.
Com o tempo aprendi a lidar com o inesperado; recomeçar e seguir tentando. Seguir com minha sacola cheia de sonhos feitos de algodão. Se eles não forem um numero suficiente não conseguiram me alçar, mas se forem muito numerosos, me levaram para as nuvens e me perderei no horizonte. Se sonhar é necessário; ter o equilíbrio é a chave!

Por isso me levanto! Sem temer o novo, tomo a caneta da minha história e sigo redesenhando meus passos em poesia. Colorindo a minha realidade com lindos sonhos... Pois não importa quão escuro seja o momento; amor e esperança sempre serão possíveis.


Mariane Helena


Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Palavras de vida - Areli Potiguara

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com