segunda-feira, 1 de abril de 2019

[O que aprendi com as borboletas] Qual é a sua glória? - Mariane Helena

QUAL É A SUA GLÓRIA?

“O segredo do sucesso é a constância do propósito.”
Benjamin Disraeli

Quantas perguntas o longo da vida nos traz? Quantas coisas almejamos ter, conquistar ou guardar para si? Inúmeras, não é mesmo?! Mas no final dessa carreira a única pergunta que realmente importa é: Qual é a sua glória?
Você já parou para pensar nisso? Já tem a sua resposta? Vivemos um busca de respostas e muitas das vezes nem ao menos sabemos quais perguntas nos moveram. E pior que não ter as respostas é não ter perguntas!  Pois mesmo as perguntas sem respostas, nos incitam! Nos traz esperança! A esperança algo encontrar...
Diariamente dormimos nas tempestades do : “Ainda não tenho”; “ainda não consegui”; “Quero isso”; “Quero aquilo”...E onde está em tudo isso a sua glória?
Bom, o primeiro passo é acalmar o coração e entender que, não é porque chove lá fora, que devemos viver internamente encharcados por elas também.
Tente! Aquiete a alma, olhe ao seu redor e volte-se para dentro. Encontre o que tem sido a sua razão de existir, de ser, de ter e de estar. Perceba se realmente existe uma! E veja se essa é a sua glória. Se não houver, ao invés de se encher com mais perguntas ou de se achar superior ou inferior a alguém, saia de si!
Compreenda que a glória maior está em coexistir.  Se após toda essa reflexão, achar que nenhuma razão é o suficiente; se sozinho não conseguiu achar um propósito para a sua vida; ou se acha que até não há sentido nenhum em viver... Note! Tudo que fazemos na vida é COM o outro, PELO o outro, ou ATRAVÉS do outro.
A partir do momento que você começar a perceber que é o outro que mobiliza em nós tanto o querer quanto o efetuar, verá que sua glória não está em si! Verás que não podemos nos gloriarmos em nós mesmos. Sem o outro não somos nada.
Por tanto, que tal doar o seu “nada” a outrem? Vire-se para o lado e veja a gratidão existente nos que nada tem. Sinta a alegria que jorra nas marginais dessa vida, e as flores que nascem no lodo.
Reconhecer com sinceridade sua “miudeza” humana, humildemente compartilhando o seu ser em detrimento do outro, sentir-se muito pelas suas franquezas e ser grato acima de tudo... Que essa seja a sua glória!

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Uma porta entreaberta - Elísio Mattos

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com