quinta-feira, 17 de setembro de 2020

{Versos de vida} Vestida de flor - Mariane Helena

 

#PraTodosVerem Sobre o fundo amarelo, um livro aberto de paginas brancas. Sobre a pagina da esquerda, em letras pretas:"Versos de vida, Vestida de flor, Mariane Helena", e em baixo, uma mão com uma caneta.
(Descrição: Raquel Carissimi Consultoria: Juliana Santos)



Hoje acordei com a primavera em mim

E ressurgindo com as flores,

Vem a minha força.

Banhada de sol e luz,

Adejo nas asas da esperança.

Sou verão, no inverno ao meu redor,

Não permito ser nada além de mim.

Ramada... Florida... Respirando vida!

Embelezada pelos ais

que compõe meus espinhos.


(Mariane Helena)

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

[4ª Poética] A rosa do jardim - E. José


#Pratodosverem Uma rosa vermelha ainda em botão, um caule com espinhos e folhas verdes com pequenas gotas de água.


A rosa do jardim
Mais uma vez se fez presente
Uma aparição de mulher em flor
D'uma penetrante presença
Encantando com seus olhos morenos
Rápida em pensamento me cativa
Em palavras e feitiços corporais
De véspera nunca vi tão bela
Tal rosa de espinhos reluzentes
Despojada e desprovida de luxo
É flor que esbanja vida e amores
Realiza seus sonhos de desejo
Seduzindo e sublimando seus perfumes
Enquanto saboreava sua benesse
Como um ingênuo e infantil sonhador
Uma brisa a levou ao meu espaço
E sem notar, cravou-me seu veneno
(E. José)

terça-feira, 15 de setembro de 2020

[Das Ruas Solitárias] Conheça a nova coluna de Val Saab

#Pratodosverem. Com o rosto iluminado pela luz do sol, uma mulher de pele clara, cabelos grisalhos e ondulados na altura dos ombros, usa sombra da cor roxa e dourada e óculos de armação redonda com estampa de onça, o batom é rosa brilhante. Os brincos de argola duplas, e um colar de corrente com elos grande e pingente em formato de coração. Ela está séria, o casaco é veludo roxo.





Olá Forasteiros, estreia hoje em nosso blog a coluna “Das Ruas Solitárias” da escritora Val Saab. Conheça um pouquinho mais sobre ela:

“Valéria Leal Saab nasceu em Maringá-Paraná. Foi para São José dos Campos ainda pequena e se considera com alma Joseense.
É escritora e professora de Inglês há mais de vinte anos, tendo formação em coordenação de escola de Inglês e Atualmente, cursa Letras Inglês.
Já escreveu dois livros de poesias e um infantil, além de já ter participado de quatro antologias e esse ano, agora em setembro, também estará em mais uma, Parem As Máquinas, do selo Off flip.
É também criadora da marca Palavra Expressa que leva poesias em canecas, caixinhas e sacolas ecobags.

A coluna “Das Ruas Solitárias”, irá ao ar aqui no nosso blog, toda terça-feira com altas doses de poesia. Não perca!

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

{Versos de Vida} No caos nascem as estrelas - Jeff Tron

#PraTodosVerem Sobre o fundo amarelo, um livro aberto de paginas brancas. Sobre a pagina da esquerda, em letras pretas:"Versos de vida, No caos nascem as estrelas, Jeff Tron", e em baixo, uma mão com uma caneta.
(Descrição: Raquel Carissimi Consultoria: Juliana Santos)




 Um Sorriso forçado, uma lágrima seca no rosto

Nadando contra a corrente num mar de egoísmo

Se escondendo em um mundo irrelevante

Sentindo tão impotente

Cansado de ser o que não sou

Eu sei que nem sempre podemos ter o que queremos

Mas sei que ganhamos o que precisamos

E se eu lutar me levantarei

Um Dia Lindo, a chuva que caí, e o luar bonito a se desgastar

Observando minha vida de perto sempre esperei sair da escuridão

Mas não a luz sem escuridão então me afoguei e renasci

As máscaras caem pois mentir pode ser fácil, mas a verdade dura é mais bela

Destravei meu coração e puis em suas mãos

Agora respiro o ar e vivo a vida

Príncipe encantado é pra fracos

Guerreiros são mais Belos

A vida grita, mais grito mais alto

A morte chama mas na árvore de misericórdia deixei minha alma

É hora de voar, se livrar de mentiras e cicatrizes

E agora sei q são parte de mim

É minha história está em volta de mim

Meu herói me salve

Eu grito Eu Horo

Nunca fico de perante a ti

Mas hoje me ajoelho e peço

Me salve

Me de razões pra sonhar.


Jeff Tron

sexta-feira, 11 de setembro de 2020

{Versos de Vida} Minha história - Mariane Helena

 

#PraTodosVerem Sobre o fundo amarelo, um livro aberto de paginas brancas. Sobre a pagina da esquerda, em letras pretas:"Versos de vida, Minha História, Mariane Helena", e em baixo, uma mão com uma caneta.
(Descrição: Raquel Carissimi Consultoria: Juliana Santos)




Não me prendo ao passado.

Ele não resumi o que sou!

Ele simplesmente forjou minha força,

Caráter e  me deu

habilidades de resiliência.

Minha história é o presente!

É o acordar corajoso 

De mais um amanhecer de guerreira;

Minha história é a vitória,

Da heroína que me tornei.

Minha história, é dia após dia...

Vencendo os mares;

Enfrentando a fúria do vento;

Sendo a marola 

Para o meu próprio barco passar.

Viver se exije Coragem!

E corajosamente sigo

Empunhando a força presente no verso,

Embalando minhas lágrimas,

No vai e vem das estações crisálidas.

E mesmo que num cantar solitário

 Sou perene, bravia, assente.

Hoje sou constância!

Trazendo nas minhas marcas na linha do tempo

Passos firmes da aurora.


Mariane Helena

quarta-feira, 9 de setembro de 2020

{4ª Poética} Dubiedades - Camila prado




#Pratodosverem. 
Sobre fundo preto, uma imagem circular dividida ao meio, à esquerda o rosto de uma mulher e à direita de um leão, ambos tem olhos amarelos brilhantes.  No canto inferior esquerdo escrito em branco: "É preciso ser fera, sem perder a doçura!".







Dúbia, incompreensível, sei que sou.

Meu esconderijo sou eu:

Esculpida em dores,

Residente no edifício das solidões...

Anfíbio, ambíguo, longe do que se espera.

Meu anonimato é um muro.

Cercada estou pelas mazelas da vida...

Impossível condensar-me!

Sou paz e bonança;

Tenho dias de ventania e tempestade;

Sou essência da terra, fera medrosa, sou pedaço de sonho de alguém...

Comum!

Simplesmente complicada!

Sou esse furacão terrivel, sou esse dia de vento ausente e ar quente...

Profundamente estranha!

Vivaz, mórbida, alucinada...

Menina que sonha, mulher devastada...

Ser humano que exala paixão,

Subjugada à própria escravidão...

Pertenço às linhas que não foram escritas, 

Sou viajante, aspirante, vivente, entregue à sorte.

Sou simples, comum, normal...

Alguém...

As pedras são as dificuldades que me preparam para o extraordinário.

O novo, que chega, o velho que vai...

E as somas que unem e as divisões se desfazem...

Viver é sangrar, viver é sonhar,

Melhor é morrer, do que passear pelos longos dias e nao saber oque é apreciar!




(Camila prado)

terça-feira, 8 de setembro de 2020

{Versos de vida} O revés - Mariane Helena


                            #PraTodosVerem Sobre o fundo amarelo, um livro aberto de paginas
brancas. Sobre a pagina da esquerda, em letras pretas:"Versos de vida o revés. Mariane Helena", e em baixo, uma mão com uma caneta.
             (Descrição: Raquel Carissimi Consultoria: Juliana Santos)    
       





 Nem tudo acontece 

No compasso que nossa vaidade quer.

Há dias escuros;

Há flores que não se abrirão na primavera; mas

São atemporais!

Não há regras para o destino

Nem sazonalidade insuperável.

O mundo segue um caminhar dúbio.

E no silêncio das suas intenções,

E o que fala mais alto

É a força do querer!

A vontade de se superar

E esperançar, independentemente

Das estações;

Do tempo;

Dos dias;

Das condições.

O revés nos faz super.

E superando, transmutamos o caos

Em flores,

As tristezas e dores

Num motivo a mais de recomeçar.


(Mariane Helena)