quarta-feira, 12 de agosto de 2015

[4ª Poética] - Autora Ana M.




Faço poesia
como faço amor:
Tenho meus dias de romântica
E minhas noites sem pudor
Se me enrolo na semântica
Ou me enrosco no cobertor
Pouco importa
Pois também trepo no chão,
no banheiro, na cozinha 
ou até no corredor.



Porquê sou Ana,
nem rimo bem com cama
mas talvez seja bem mais:
Nem um pouco puritana
Meus desejos, pura chama
Muitas vezes são anais
Analiso os detalhes
Banalizo os poemas
muitas vezes por demais

Share:

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Já havia lido este seu poema no Facebook, mas sempre é um imenso prazer reservar um tempo para te ler mais uma vez.

    Beijos. E visite meu blog quando poder. 

    http://menosdoisblogs.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Uma porta entreaberta - Elísio Mattos

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com