domingo, 1 de outubro de 2017

[Súmula de Domingo] Causar Impacto – Ana Cristina da Costa

“A arte pode ser também definida como algo inerente ao ser humano, feito por artistas a partir de um senso estético, com o objetivo de despertar e estimular o interesse da consciência de um ou mais espectadores, além de causar algum efeito. Cada expressão artística possui significado único e diferente.” http://historia-da-arte.info/o-que-e-arte.html neste sentido, entendemos a arte.

Entendemos também que causar impacto não significa escandalizar, tornar nossas ideias e sentidos confusos, por não sabermos mais onde moramos e em que planeta vivemos, por não termos mais referências e exemplos de quem seguir. Estamos regredindo.

Entendemos também que criança é um ser em construção, que dela depende o futuro de qualquer nação, que ela deve ser protegida, instruída, acolhida e respeitada e principalmente ensinada que mundo de adulto é mundo de adulto. Ser criança é sonhar com o impossível, com o mundo mais tranquilo e colorido e diversificado, é dormir e acordar deslumbrada com o imaginário sem ferir sua integridade infantil. Embora digam mais tarde que existem as mensagens subliminares, será que a criança vê as mensagens se elas realmente existem?

Uma coisa é seu filho, na liberdade da sua casa, conviver com os pais, os irmãos e dentro dela aprender sobre a sexualidade em idade determinada e de maneira menos agressiva, na doçura das palavras dos pais, outra é expor essas crianças a conteúdos incoerentes, inoportunos, grotescos, a isso se dá o nome de pedofilia, é crime.

Eu faço arte, eu faço teatro e cinema e escrevo e leio e construo coisas, tenho as mãos produtivas, amo meus artesanatos, é certo que minha direção é na maioria das vezes para o adulto, mas quando me reporto ao infantil minha postura é outra, minhas palavras são outras.

Não somos imbecis, entendemos a arte, por mais que ela se coloque em patamares absurdamente ininteligíveis, entendemos que há muitos nus em estátuas, em quadros em exposições mundo à fora e entendemos que você jamais levaria o seu pequeno a uma exposição de obras de arte onde o sexo é exposto, entendemos que é um escândalo tudo aquilo que foge ao natural ao rotineiro ao que estamos acostumados e que o mundo da criança deve ficar sempre no mesmo patamar de infantil do contrário para que o adjetivo? Para que as classes, as sociedades, as faixas etárias, juntemos tudo numa anarquia só e pronto, inventemos outro nome para toda essa balbúrdia.

Eu faço arte e estou boquiaberta com o que está acontecendo por aí à fora, sinceridade, não entendo o motivo de inserir sempre a criança na sexualidade, não entendo músicas tratando-as de novinhas, não entendo o cunho vexatório e escrachado, essas pessoas, ou não terão filhos, ou as terão e as colocarão em museus juntamente com débeis, o que é uma atrocidade.

Criança é criança e ponto. Ela não é um mini adulto, embora tenha uma inteligência fora dos padrões dos pais, dos avós, ela é uma criança, com seu corpinho frágil e indefeso para todo o tipo de atrocidades e por isso mesmo ela deve ser protegida, porque não sabe discernir as coisas.

Uma nação que trata o seu futuro (crianças) dessa maneira permitindo abusos, sendo que essa mesma nação formulou LEIS para protegê-las, montou Estatuto (ECA), faz campanha contra a pedofilia, monta REDE de alta tecnologia para caçar os bruxos, não merece RESPEITO.

Meu Brasil mostre a sua cara, mas aquela que gostaríamos de ver, que é a versão da MORAL E DOS BONS COSTUMES.
O discurso não é moralista, ele é apartidário, não é discriminatório nem preconceituoso, é um discurso de cidadão cansado de tanto escracho.
Os meus netos estão crescendo, o que eles verão nos museus?
Aproximamo-nos do dia das crianças, cuidemos e presenteamo-las com o que há de melhor, brinquedos e amor.

Ana Cristina da Costa.
Imagem extraída do Pinterest.
Indicação de filmes:

O Outro Lado do Céu
https://www.youtube.com/watch?v=hpAi-6nYxBg

A Borboleta Azul
https://www.youtube.com/watch?v=X6NeobjXasE









Share:

2 comentários:

  1. Muita sensibilidade nesse texto. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Michel, infelizmente não tem como ficarmos de fora, eu tentei ao máximo, mas fui impulsionada pela consciência.

    ResponderExcluir

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Preta raiz - Mariane Helena

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com