domingo, 19 de novembro de 2017

[Súmula de Domingo] O Toque da Vaidade – Ana Cristina da Costa


 O homem, figura, sexo, uma pessoa no mundo, um universo a parte, tão repleto de facilidades, e particularidades.
O mundo era tão seu. Era tudo tão masculinizado em suas nuances, em seus fatos históricos, em seus heroísmos. O mundo era assim, era o O, até que surgiu o outro lado, o oposto, o frágil, o sensível, o persistente e irritavelmente belo, a mulher.

As coisas mudaram muito desde as guerras, desde a queima das peças intimas em praça pública, o homem antes visto como o super-homem em casa, o consertador das coisas, hoje muito mais que provedor, o ditador das regras e o carrasco na cama, tornou-se o companheiro e amigo dos filhos, o parceiro nas finanças de sua companhia.

O homem deixou o seu espelho no banheiro, o toucador e caminhou para as barbearias, as tão sofisticadas casas de embelezamento masculino. O homem tornou-se o marido de aluguel, o cozinheiro, o costureiro, o cuidador e amante de sua família.

Há uma divisão na prateleira do quarto, há um espaço reservado para ele guardando seus cremes, suas escovas, seus inumeráveis produtos que o deixam pessoalmente belos. Há reservas nas salas de cirurgias os aguardando, há uma indústria de roupas voltada a este homem moderno, não que o outro tenha sido bloqueado e ou deletado, mas ele ganhou outras nuances, outras parcerias, outros tecidos.

Hoje comemoramos o Dia Internacional do Homem, não para falar de sua vaidade, de suas vestimentas e seus comportamentos domésticos, mas para falar de sua saúde, pois apesar deste homem ter se moldado tanto e sucumbido a tantos tratamentos voltados para o feminino, ainda há a resistência em relação ao cuidado com sua saúde, porque aliado a esta vaidade muitas vezes exacerbada, ele continua com medo, com receio de entregar-se ao inevitável. Ainda há a resistência ao toque, este tão importante, este que continua diagnosticando doenças que podem matar.

Então em nome deste ser que se permitiu mudar, que se atualizou é que pedimos, nós suas caras metades, companheiras, amigas, irmãs, amantes, mães, anônimas, não resistam, entreguem-se ao profissional que pode mudar igualmente a sua vida, façam o exame de próstata e depois poderá olhar-se no espelho mais uma vez como o homem que é e preparar uma massa caseira, rir com os seus, assistir a um filme, porque ainda terá tempo.

Ana Cristina Faria.
Imagem extraída do Google.
Indicação de filme: O Retrato de Dorian Grey https://www.youtube.com/watch?v=DgG1X-onBfc

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Preta raiz - Mariane Helena

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com