domingo, 12 de novembro de 2017

[Súmula de Domingo] Os Supermercados – Ana Cristina da Costa

Antes deles eram os pequenos comércios onde a maioria era comandada por japoneses, portugueses ou italianos, os empórios, as encantadoras mercearias nas quais eu me deliciava principalmente com os produtos importados, eles eram grandes e suas embalagens extravagantes chamando a atenção de todos.

E muito antes de tudo isso havia a troca de produtos entre as partes, de uma forma civilizada e amigável. A avalição dos produtos quase não existia, pois se havia a necessidade de carne e o outro tinha grãos então o negócio era feito sem a mais valia o que foi surgindo com o efeito dos diversos fatores agregadores, a civilização, as benfeitorias.

Hoje com o dinheiro de plástico e o pouco dinheiro vivo, compra-se quase tudo em um só lugar e as coisas tem lá os seus valores, alguns exorbitantes e outros nem tanto, ainda assim dependendo de sua localização, civilização e até mesmo de sua inteligência, podemos nos deliciar de iguarias nunca antes imaginadas postas em prateleiras perfeitamente organizadas. Estamos ali observando, calculando e sendo observados em igual tamanho, o controle não é apenas da mercadoria, mas de quem a consome.

No Brasil produzimos tantas coisas em tão grande quantidade e as exportamos em igual tamanho, como por exemplo, o café que amo e não sei se viveria sem ele, mas para nós os vassalos, estes mesmos produtos continuam pela hora da morte, uma questão de inteligência, diferentemente de países onde esta mesma que nos falta é usada ao benefício próprio, onde o centavo tem um enorme valor. Chega a ser humanamente impensável que onde se produz muito se paga mais, mas estamos no Brasil um país que ainda não foi descoberto.

Os supermercados ganharam concorrentes atacadistas, foi um assombro quando tivemos este serviço por aqui, nunca imaginaríamos em ter estocados em casa, produtos que até então eram vendidos por unidades As famílias numerosas ganharam neste quesito. Posso afirmar que tivemos bons momentos.

Bem hoje é um bom dia para ir aos supermercados, domingo onde a maioria está se divertindo, eles ficam mais vazios e aproveitem para comprar algumas coisas que por certo ou estarão muito mais valiosas em dezembro e ou faltarão nas prateleiras. Faça já suas contas, se puder, pois se você está naquele rol de funcionários que ainda não recebeu todos os salários atrasados, eu peço desculpa por falar em estoque, eu mesma estou tentando a sobrevivência dia após dia, em 2018 quem sabe? Alias para que serve um ano novo senão para nos remeter esperanças?

Tenham todos um dia inimaginavelmente belo.

Ana Cristina da Costa.
Imagem extraída do Google.
Indicação de filme para assistir com a família:

A Família do Futuro
https://www.youtube.com/watch?v=AJXvvErKTIo







Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Preta raiz - Mariane Helena

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com