domingo, 3 de dezembro de 2017

[Súmula de Domingo] O Sorriso de Todos Nós – Ana Cristina da Costa


 Os comportamentos humanos, suas fugas e seus artifícios, os mistérios que envolvem a mente são por vezes assustadores em outras tantas surpreendentes. 

Somos uns invólucros lacrados e vistos como deixamos que nos vejam, porque as obscuras máscaras estão guardadas no closet bastam alguns passos para que sejam alcançadas e acionadas.

“Uma aldraba, uma cadeira de balanço vazia, o silêncio da floresta, alguns estilhaços da vidraça pelo chão, mãos sedentas, um convite ao aniversário, a música ao fundo, o bolo, a expectativa da festa e uma arma altamente letal, a mente humana.” Esta poderia ser a descrição da cena de um filme, o trecho de um livro ao menos é o que gostaríamos que fossem, porque queremos e esperamos sempre o melhor das pessoas. Somos incapazes de submeter nossa imaginação ao que está por vir. Infelizmente os demônios provocados pelos os desejos latentes, veem à tona e acabam causando o infortúnio. Sabemos que nas pessoas (um pouco normais) após a explosão, vem o arrependimento, mas em outras tantas estes momento são apenas a demonstração de suas capacidades e neste grupo estão os psicopatas.

A mente e seus refúgios o seu jogo de sombras, seus modos e maneiras e as chaves para abrir as pesadas portas das lembranças.

Somos também os autores de cenários deslumbrantes, acionamos a serotonina, puxamos as gavetas das boas lembranças e lá se vão os sorrisos, provocadores de felicidades instantâneas.

Sorrimos, mesmo que para o vidro da câmera, mostramos ao mundo o nosso melhor, enviamos esta mensagem estampada e entendida por qualquer humano em qualquer lugar do mundo.

Este é o melhor sinal a ser divulgado, o sorriso, mesmo que não tenha ele dente algum, que não seja o branco do clareamento dental, que esteja coberto pela nicotina, que tenha falhas, pontes, dentaduras, grampos, ouro, piercing, que seja parcial, aos gargalhos, debochado, que seja inocente e envolvente como o sorriso de uma criança, de soslaio e até sedutor como o da mocinha no auge de sua encenação, mas que ele apenas seja e que se faça imponente e o mandante de toda a galáxia.

Não deixemos que as gavetas abertas sejam aquelas as quais queremos desintegrar, pois já não suportamos mais o peso guardado. Que se abram as portas dos sorrisos frouxos, dos engasgos momentâneos das piadas, que se abram e escancarem-se os armários sortidos de doces e leves lembranças.

Sorriam sempre, no seu aniversário e no dos outros eles são os ingredientes perfeitos no começo, no meio e no final da festa.

Tenham todos, um lindo dia de domingo!!!
Ana Cristina da Costa
Imagem extraída do Pinterest
Indicação de filme: O Sorriso de Monalisa – Netiflix
Share:

2 comentários:

  1. Viva o sorriso inocente de uma criança. E que o "amadurecimento" não tire isso da gente.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, obrigada por sua visita e sim , o sorriso é o melhor remédio para todos os males juntamente com o abraço, eles somam na fórmula do amor. Um forte abraço.

    ResponderExcluir

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[4ª Poética] Preta raiz - Mariane Helena

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com