[2ª Estante] (Orações A Saturno - 04/03/17) delírio - Edhson J. Brandão


delírio

[edhson j. brandão]


hoje pequena. uma finura doentia e a cor de quem já cansa.
estava na sua pele a marca de quem já vivera outrora. muitos.
acontecimentos mal desabrocharam nesta fração de vida, mas restou a imagem seca e crua que é
o passado.
a pequena roseira de Rute morreu ainda ontem.
sentida do que,
ninguém sabe.

*  *

Orações A Saturno é o templo da linguagem pragmática sem a moral do mundo que o perturba. É um alento. Algo que eclode. Não sei. Um out de si no tempo da palavra. É sábado, todo sábado. São rezas para deus-palavra. E isso é tudo, quando não há nada. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[Conto] Viúva de todos os homens - Sara Timóteo

[Súmula de Domingo] Ah! A Primavera e seus Ipês! – Anna Costa