domingo, 10 de fevereiro de 2019

[Súmula de Domingo] O Bater de Asas de Uma Borboleta – Ana Cristina da Costa


               Há uma grande concentração de borboletas do outro lado do mundo e elas estão bastante eufóricas, pois o Brasil foi atingido em cheio com a reverberação das ondas. 
É uma constatação? 
É apenas uma maneira de dizer e ou se cientista fosse, afirmar que já bastam de tantas falhas recorrentes ceifando em massa as vidas brasileiras.
                O país de tempos em tempos empresta seu vexame aos olhos estrangeiros, deixando que o patriotismo seja apenas o Hino Nacional impresso no verso dos cadernos escolares. Mas eu havia me esquecido, caiu em desuso falar da pátria, porque se associam os fatos históricos e à politicagem, esquecendo-se de que a matéria onde aprendemos sobre o país é deveras significativa para que possamos defendê-lo e ou orgulharmo-nos de suas riquezas.
                As tragédias mineiras arregalam os nossos olhos, comprimem os corações e nos fazem refletir, - até quando?
                É certo que um país necessita de riquezas e essas devem ser exploradas, pois o homem só é homem se tiver uma oferta. 
                Enquanto nação, o Brasil já esteve no patamar de meros Tupiniquins e esses trocavam arte milenar por bugigangas, saiam sorrindo, tanto quanto o enganador. 
                levaram daqui, insetos, plantas e até sementes para receberem cidadania estrangeira e o índio? ficou aqui, sorrindo! Escravizaram nossas mulatas, vendidas foram às portas do carnaval, compraram nossas crianças rejeitadas por nacos de arroz e feijão e o pobre? saiu sorrindo sem dente algum na boca.
                Tanto em Mariana, Brumadinho e Toca do Urubu, quanto em outros lugares, basta que olhem, fiscalizem se há FISCALIZAÇÃO nos locais onde moram e ou trabalham, zelem por sua segurança e a dos seus, grite se for o caso, pois às vezes as borboletas estão muito agitadas e pode ser que não dê tempo para correr. 
                Em todos esses lugares onde aconteceram tragédias de magnitude, há por trás negligência, ganância e falta de amor generalizada. A vida humana está sendo superada pela oferta do ouro e nós que ficamos, choraremos mais lágrimas de sangue se não “colocarmos a boca no trombone” chega de pagarmos pela conta alheia, queremos um país com recursos muito bem distribuídos, pois ricos nós já somos.
                A maior indignação é que o número de mortes só aumenta, essas vidas são NÚMEROS, para os insanos, mas para nós são vidas e histórias que foram afundadas, calcificadas por néscios conchavados aos maiorais, aqueles que concedem licenças e passam a mão na cabeça. Os seus bolsos estão recheados de ignorância.
                A pergunta é, até quando?
                As borboletas estão batendo um pouco mais nesta manhã, minha cabeça fervilha de palavras.
                Aos familiares de Mariana, Brumadinho e aos do Ninho do Urubu, meus sinceros pêsames.
Por: Ana Cristina da Costa
Imagem extraída da
Mariana – MG - https://www.youtube.com/watch?v=KlQf3PvaWCY
Brumadinho – MG - https://www.youtube.com/watch?v=RMciW3KK9MQ

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com