domingo, 14 de julho de 2019

[Súmula de Domingo] Os Nossos Direitos – Anna Costa



Hoje comemora-se o aniversário da Liberdade de Pensamento, busquemos pois, forças, para que os ditos cujos ao saírem de sua forma original, não sejam ofensas nem tampouco afronta aos adversos. Se assim o forem que os ânimos ao se exaltarem, não cometam extermínios. Civilizemos.
No que se conhece da história, os humanos entenderam a importância da cordialidade, da conversa, dos acordos e dos tratados por saberem do seu poder destruidor. Nem sempre foi assim, mas estamos tentando chegar no nível último de humanidade, você concorda?
 Estes documentos, no calor das batalhas serviram de bigorna aos arroubos inimigos, alguns perduraram até hoje, outros são encontrados nos anais da historicidade.
Os acordos persistem na maioria das terras, salvo naquelas em que o regime fechado e a autoridade do comandante, conferida por sua população, tornam-se sem efeito. Não que o mundo não os saibam alheios aos direitos humanitários, não que não houvesse tentativas várias de dissolvê-los das intempéries, mas porque que todos estes, tem por direito, que eles mesmos conferiram a si mesmos, o da maldade. Repelem a civilidade, por conseguinte a humanidade.
O humano é instintivo, embora queiramos ser diferentes e civilizados a tal ponto de, impreterivelmente tomarmos o chá das cinco e juntamente com ele degustarmos os alfajores ou quem sabe sairmos mundo a fora visitando as pessoas simplesmente porque as amamos, não conseguiremos praticar tais atividades por muito tempo, a nossa individualidade e sobrevivência já nos remete às práticas de conservação da espécie. Somos predadores e carnívoros, exterminamos para nos alimentarmos, mesmo não sendo a carne, matamos qualquer outra coisa afim de não morrermos de fome, este é o instinto.
Ao se deparar  com o próprio poder de destruição, o humano tomou como base sua particularidade de extermínio, é ele o animal inteligente e o que encabeça a cadeia alimentar, portanto podemos dizer que o mundo é dele, embora as outras coisas o sirvam e o são de suma importância.
As atitudes impensadas dão ao planeta argumentos para que se volte contra o soberano homem e numa linguagem quase muda vai mudando a paisagem. O que o humano não sabe é que a natureza tem seus próprios tratados.
Por: Anna Costa.
Imagem extraída do Pixabay
Indicação de filme: Nesta página há vários filmes com a temática de direitos humanos, um bom domingo. https://filmow.com/listas/filmes-com-tematicas-em-direitos-humanos-l88761/

Sobre a Declaração dos Direitos Humanos.
Vaparaíso de Goiás – GO, 14 de julho de 2019.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Instagram

Parceiro

QG dos Blogueiros

Facebook

Youtube

Blogs Brasil

Feature Post

Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email

Postagem em destaque

[Súmula de Domingo] Vamos falar ou cantar? – Anna Costa

Copyright © Faroeste Literário - Para um amanhã com ainda mais histórias | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com